Dança Folclórica Gaúcha - 3ª Parte


Havaneira Marcada

A habanera, ou havaneira em algumas traduções para o português, é um gênero musical criado em Havana, (Cuba).

A habanera, cujo nome deriva da cidade de onde é oriunda (La Habana, em espanhol), foi a primeira música genuinamente afro-latino-americana, que foi levada de Cuba para salões europeus por volta do século XVII. Foi sofrendo alterações em sua estrutura básica devido aos arranjos que lhe deram os músicos da Europa e assim, alterada, voltou às Américas através dos imigrantes portugueses e espanhóis.

É uma música de compasso binário, com o primeiro tempo fortemente acentuado, com uma curta introdução seguida de duas partes de oito compassos cada uma, com modulação do tom crescente.

Da habanera derivam diversos ritmos como o maxixe brasileiro e o tango rioplatense. Também deu origem ao vanerão dos gaúchos.

É uma dança que foi também, algumas vezes, aproveitada no repertório erudito, sendo o exemplo mais famoso a habanera da ópera Carmen, de Georges Bizet.

Maçanico

Fonte: Página do Gaúcho

Essa dança, por suas características coreográficas, parece ser portuguesa (apesar da música adquirir, quando executada por violinistas autenticos do Rio Grande do Sul, um estilo sincopado muito próprio, alheio à música portuguesa). Com o nome de "Maçanico" surgiu no Estado de Santa Catarina e daí passou ao nordeste e litoral-norte do Rio Grande do Sul.
É uma das danças mais animadas. De fácil aprendizagem, é aconselhável aos principiantes na interpretação de danças regionais gaúchas.

O nome "maçanico" constitui uma corruptela de "maçarico", ave do sul do Brasil.

Meia Canha ( polca de relação )

Fonte: Manual de Danças Gaúchas
A origem remota da "Media-Caña" platina parece encontrar-se numa dança de Andalucía, denominada "Media-Caña". Esta dança espanhola parece ter sido, até hoje, ignorada pelos folcloristas platinos, que dão o próprio nome "Média-Caña" - já não falamos da coreografia - como de formação autóctone.
Dança de pares sôltos, a "Média-Caña" enriqueceu-se de extrema mímica amorosa, no Prata.
"Chamava-se assim porque enquanto durava cada descanso dos dançarinos, circulavam entre eles os chifres cheios de canha (aguardente), não se dando fim a dança enquanto não se houvesse esvaziado toda a bebida."

Dança Pau de Fitas

Fonte: Wikipédia - A enciclopédia livre

A dança do pau-de-fitas ou dança das fitas é uma dança folclórica coreografada trazida da Europa. A coreografia desenvolve-se como uma ciranda de participantes que orbitam ao redor de um mastro central (pau) fincado no chão. O peculiar é que no topo do mastro são presas as pontas de longas fitas coloridas, cuja extremidade pendente é sustentada por cada dançante. Durante a translação em zigue-zague em torno do fulcro central, as fitas vão sendo trançadas, encurtando a parte pendente até que fique impossível prosseguir. Faz-se após o movimento contrario, destrançando as fitas.

Há variações na música e instrumentos por causa da regionalização.

Portugal

Chamada de dança das Fitas ou do Mastro faz parte dos festejos da dança de Garvão.
Nos Açores é chamada de dança do Cadarço.

Brasil

Também chamada jardineira e trança esta dança se disseminou nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, dançada especialmente durante festejos de origem açoriana, gaúcha, alemã e festas juninas.

Veja também:
Dança Folclórica Gaúcha - 1ª Parte
Dança Folclórica Gaúcha - 2ª Parte
Dança Folclórica Gaúcha - 3ª Parte
Dança Folclórica Gaúcha - 4ª Parte
Dança Folclórica Gaúcha - 5ª Parte
Dança Folclórica Gaúcha - 6ª Parte
Dança Folclórica Gaúcha - 7ª Parte

Dança Folclórica Brasileira


Compartilhe Google Plus

Sobre Roger Dance

É dançarino, coreógrafo e blogueiro. Autoditada e estudioso dessa arte, pretende dividir seu conhecimento, pesquisas e informações com todos os amantes do Mundo da Dança. Saiba mais sobre o Autor.