Hot News MD
quarta-feira, 3 de agosto de 2016

#Espetáculo - Para que o Céu não caia - Cia de Dança Lia Rodrigues


Novo espetáculo da Lia Rodrigues Companhia de Danças estreia 4 de agosto (quinta-feira) Centro de Artes da Maré, Rio de Janeiro.

O mito do fim do mundo, relatado pelo xamã Yanomami Davi Kopenawa, diz que, rompida a harmonia da vida no universo, o céu – que no idioma Yanomami é entendido por “aquilo que está acima de nós” – desaba sobre todos os que estão abaixo e não apenas sobre os povos das florestas.

O relato de Davi Kopenawa foi uma das fontes para a criação de Para que o céu não caia, novo trabalho da Lia Rodrigues Companhia de Danças, que estreia no dia 4 de agosto. As apresentações, que serão de quinta a domingo, até 28 de agosto, no Centro de Artes da Maré, contam com o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura e a coprodução de cinco cidades alemãs – Dresden, Hamburgo, Berlim, Frankfurt e Düsseldorf -, do Festival de Outono de Paris, do Centquatre e do Festival de Dança de Montpellier.


Mundo da Dança nas Redes - Facebook | Twitter | Instagram | Youtube


O espetáculo Para que o céu não caia integra o Circuito Cultural Rio, idealizado pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Prefeitura do Rio, para a programação cultural dos períodos Olímpico e Paralímpico, que vai de maio a setembro de 2016.

Para que o céu não caia foi concebido, entre 2015 e 2016, pela coreógrafa Lia Rodrigues e os 11 bailarinos de sua companhia em sua sede, o Centro de Artes da Maré. O embrião da criação foi o projeto piloto Questionário Afetivo–Cultural-Corporal na Maré, parte do projeto Dançando com a Maré, patrocinado pela Globo através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura/Lei do ISS. Neste projeto, os bailarinos da Lia Rodrigues Companhia de Danças, junto com os 18 jovens do Núcleo 2 da Escola Livre de Danças da Maré e de duas estagiárias, percorreram ruas da Maré e pediram a mais de cem pessoas para responderem, de diferentes formas, a um questionário produzido coletivamente. A partir dessa experiência, os bailarinos e estudantes criaram um exercício coreográfico que foi o início do processo de criação de Para que o céu não caia.


Ajude nos a manter este Site ativo, faça uma DOAÇÃO


“Diante de tantas catástrofes e barbáries que todos os dias nos assombram e emudecem, neste contexto de drásticas mudanças climáticas que escurecem o futuro, o que nos resta a fazer? Como imaginar formas de continuar e agir?  O que cada um de nós pode fazer para, a seu modo, segurar o céu? Não há tempo a perder antes que tudo desabe. O céu já está caindo e aqui estamos nós a viver sob ele. Vamos juntar nossas forças mais íntimas para manter este céu. Cada um a sua maneira. Na Maré nós dançamos no ritmo de máquinas e carros, helicópteros, sirenes, nós dançamos sob um calor escaldante, nós dançamos com chuva e tempestade, nós dançamos como uma oferenda e como um tributo, para não desaparecer, para durar e para apodrecer, para mover o ar e para se expandir, para sonhar e para visitar lugares sombrios, para virar vagalume, para sermos fracos e para resistir. Nós dançamos para encontrar um jeito de sobreviver neste mundo virado de cabeça para baixo. Dançar para segurar o céu. É  o que podemos fazer. Para que o céu não caia… dançamos.”, escreve Lia Rodrigues sobre esta nova criação.

Para que o céu não caia estreou em maio deste ano, na Alemanha, em Dresden, onde foi finalizado durante uma residência artística, e depois foi apresentado em Hamburgo, Potsdam, Berlim, Frankfurt e Düsseldorf, como parte do Projeto Brasil. Logo após, Para que o céu não caia foi apresentado no Festival Montpellier Danse, na França, para onde retorna em novembro deste ano para uma temporada em Paris, seguindo depois para Grenoble e Toulouse.

Assim, como em Pindorama (2013) e Aquilo de que somos feitos (2000), em Para que o céu não caia o público fica no mesmo espaço que os bailarinos, sem divisão entre palco e platéia, praticamente fazendo parte do espetáculo.

Para facilitar o acesso ao Centro de Artes da Maré, será disponibilizada uma van durante os fins de semana - trajeto de ida e volta do estacionamento da Cobal de Botafogo até a Maré. Quem estiver interessado, deve entrar em contato através do e-mail paraqueoceunaocaia@gmail.com

Lia Rodrigues


Premiada no Brasil e no exterior, Lia Rodrigues estudou dança no Brasil. Fez parte da companhia da coreógrafa francesa Maguy Marin. Em 1990, fundou no Rio de Janeiro, a Lia Rodrigues Companhia de Danças e vem desenvolvendo atuação importante na construção da linguagem da dança contemporânea no Brasil. A Companhia, que tem em sua história a criação de 18 espetáculos, entre eles os premiados Folia, Aquilo de que somos feitos, Formas Breves e Encarnado, se mantém em atividade durante todo o ano, com aulas, ensaios do repertório, pesquisa, criação e apresentações pelo mundo.

Lia criou o Festival Panorama, em 1992, e foi sua diretora artística durante 13 anos. Desenvolveu criações com artistas plásticos como Tunga, da consultoria para outros coreógrafos e leciona dança contemporânea no Brasil e no exterior. Fez parte da organização IETM e foi representante no Rio de Janeiro da Rede de Promotores Culturais da América Latina e Caribe. Em 2000, foi indicada para a "Categoria Especial" do prêmio Rio Dança. Em 2007, foi condecorada pelo Governo Francês com a medalha de Chevalier des Arts et dês Lettres , em 2014, recebeu do Governo Holandês o Prêmio Prince Claus e, em 2016, o Prêmio de Coreografia da Société des Auteurs et Compositeurs Dramatizes (SACD), na França.

 Em 2004, começou a trabalhar no bairro da Maré, para onde transferiu a sede da Companhia. No Centro de Artes da Maré, nasceram Encarnado (2005), Pororoca (2009),  Piracema  (2011) e Pindorama (2013), além de Para que o céu não caia (2016).

 Centro de Artes da Maré


Desde 2004, a Lia Rodrigues Companhia de Danças desenvolve ações artísticas e pedagógicas na Maré, sempre em parceria com a Redes de Desenvolvimento da Maré. Em 2009, elas criaram, em um galpão no bairro da Nova Holanda, o Centro de Artes da Maré, um espaço direcionado para a formação, criação e difusão das artes, onde a Lia Rodrigues Companhia de Danças trabalha diariamente além de realizar diversos projetos.

Escola Livre de Dança da Maré


Em 2011, foi aberta a Escola Livre de Dança da Maré que realiza um trabalho de caráter continuado e atividades gratuitas, articulando dança, ações de formação e sócio educativas em torno de dois núcleos: um aberto à todos os moradores da Maré e arredores, de todas as idades, que oferece oficinas e aulas diversas frequentadas por mais de 200 pessoas por ano; e outro, o Núcleo 2, de formação continuada em dança que oferece a 18 jovens, selecionados através de uma audição, uma formação diária, prática e teórica, junto da Lia Rodrigues Companhia de Danças.

Circuito Cultural Rio


Idealizado pela Prefeitura do Rio, o Circuito Cultural Rio conta com mais de 700 atrações, selecionadas e patrocinadas por meio dos editais da Secretaria Municipal de Cultura, que serão apresentadas em mais de 100 espaços culturais espalhados por toda a Cidade, além dos eventos que acontecem ao ar livre. Com peças de teatro, exposições, shows, espetáculos de dança, atrações circenses, eventos de gastronomia, manifestações de rua, saraus, bailes e afins, o Circuito Cultural Rio vai possibilitar uma experiência integral da diversidade cultural carioca.

PARA QUE O CÉU NÃO CAIA
com a Lia Rodrigues Companhia de Danças

www.facebook.com/liarodriguescompanhiadedancas

teaser: https://vimeo.com/169761985

Sinopse: Diante de tantas catástrofes e barbáries que todos os dias nos assombram e emudecem, neste contexto de drásticas mudanças climáticas que escurecem o futuro, o que nos resta a fazer? Como imaginar formas de continuar e agir? O que cada um de nós pode fazer para, a seu modo, segurar o céu?

CENTRO DE ARTES DA MARÉ

Rua Bittencourt Sampaio, 181, Nova Holanda, Maré (terceira rua à direita depois da passarela 9 da Av. Brasil, sentido Centro-Zona Oeste)

Tel. (21) 3105-7265.

De 4 a 28 de agosto de 2016, de quinta a domingo

Quinta e sexta, 19h. Sábado e domingo, 18h.

ENTRADA FRANCA

Duração: 75 min

Lotação: 130 pessoas

Classificação etária: 16 anos

Reservas e informações sobre a van que fará o trajeto Zona Sul-Maré, aos sábados e domingos: paraqueoceunaocaia@gmail.com



author

Sobre o Autor:

Roger Dance é dançarino, coreógrafo e blogueiro. Estudioso dessa arte pretende dividir seu conhecimento, pesquisas e informações com todos os amantes da Dança. Saiba mais sobre o Autor. Siga no Twitter: @mundo_danca

Assine e receba nossos posts em seu e-mail!

E-book Dança Gospel - Mundo da Dança está lançando seu primeiro E-book - Dança Gospel - COMPRE SEU EXEMPLAR AQUI ** Tudo o que precisa saber para Dançar, Louvar e Evangelizar !!! **Leia a matéria de lançamento: Clique aqui.
Faça uma Doação ao Mundo da Dança - Saiba como e ainda ganhe um Brinde!
Item Reviewed: #Espetáculo - Para que o Céu não caia - Cia de Dança Lia Rodrigues Rating: 5 Reviewed By: Roger Dance