HAKA - Danças de Guerra MĀORI

 

O Haka é um tipo antigo de dança de guerra Maori tradicionalmente realizado no campo de batalha, bem como quando os grupos vinham em paz. São danças típicas que geralmente demonstram a paixão, o vigor masculino e a identificação com a raça. É usada tanto para dar boas vindas a visitantes quanto a tribos inimigas.

O Haka são uma demonstração vigorosa do orgulho, força e unidade de uma tribo. As ações incluem violentas pisadas no chão, salientar a língua e tapas no corpo em ritmo para acompanhar um alto cântico. As palavras de um haka muitas vezes descrevem poeticamente os ancestrais e eventos da história da tribo.


Mundo da Dança nas Redes - Facebook | Twitter | Instagram | Youtube


Segundo o povo Maori, Tama-nui-to-ra, o Deus do Sol, tinha duas mulheres, sendo uma delas Hine-raumati, a virgem do verão (perdendo este estatuto!), da qual nasceu Tane-rore, creditado pela origem da dança. Tane-rore representa o vento nos dias quentes de verão, na dança coreografado com o tremor de mãos.

Ajude nos a manter este Site ativo, faça uma DOAÇÃO

Hoje, o haka continua sendo usado em cerimônias e celebrações māoris que homenageiam os convidados e mostram a importância da ocasião. Ele também é usado para desafiar os oponentes no campo esportivo.

É provável que você já tenha visto o haka sendo apresentado pelo All Blacks, da Nova Zelândia, antes de uma partida de rugby.

Atualmente o Haka é conhecido mundialmente pela performance de intimidação no início dos jogos de Rugby da seleção da Nova Zelândia (All Blacks), que costuma antes de seus jogos executar uma haka específica chamada Ka Mate.

Antes da dança, o chefe que conduz a dança grita aos companheiros um refrão de incitamento, coisa que no caso dos All Blacks é feita pelo jogador de sangue maori mais velho, nāo sendo este necessariamente capitāo da equipe.

As palavras são utilizadas nāo só para incitar quem está realizando a dança, mas também para recordar-se o comportamento correto durante a mesma. Muitas vezes o tom utilizado para gritar o refrāo é o mesmo utilizado no curso de toda a exibiçāo, ou seja, quanto mais agressivo, feroz e brutal, mais vai incentivar o grupo - e intimidar o adversário.


Como o samba no Brasil

Profundamente enraizada na alma dos maori, a haka faz parte do próprio núcleo cultural desses indígenas. Ela reflete uma história muito rica em lendas, mitologia e folclore. Como o samba para o Brasil, pode-se dizer que a Nova Zelândia se formou e se desenvolveu imersa em haka desde os primeiros encontros entre os maoris e os primeiros exploradores, missionários e colonizadores europeus. Rapidamente essa prática tornou-se um modo de afirmação da identidade maori e um motor da sua sobrevivência.

A tradição mais recente sugere que a haka é uma atividade masculina, de domínio exclusivo dos homens, mas as lendas contam uma versão diferente. De fato, a análise da história e do conteúdo da haka mais famosa, a “Ka mate”, demonstra que ela de fato discorre sobre o poder da sensualidade feminina. Trata-se de uma relação interessante e curiosa do ponto de vista da psicologia individual e social profunda: Para os maori, o poder viril surge da sensualidade feminina.

Os exploradores Europeus Abel Tasman e James Cook, foram os primeiros a observar os Maoris e relatar suas práticas culturais. Esses primeiros contatos foram caracterizadas por mal-entendidos e equívocos que levaram a muita violência e mortes.




Compartilhe Google Plus

Sobre Roger Dance

É dançarino, coreógrafo e blogueiro. Autoditada e estudioso dessa arte, pretende dividir seu conhecimento, pesquisas e informações com todos os amantes do Mundo da Dança. Saiba mais sobre o Autor.